+Natal RN - O Guia Comercial do Rio Grande do Norte
Vamos conhecer um pouco da nossa cidade?

Portalegre – RN

0

Portalegre é uma comuna brasileira no estado do Rio Grande do Norte, localizada no Pólo Serrano. O território de 110 km².

Portalegre – RN

Portalegre é uma mistura de influências entre os nativos, Paiacu, Tarairiu, Português e a expansão da carne seca.

História do município

No final do século XVII, à medida que o ciclo econômico da carne do charque progredia para a planície de inundação do rio Aso / Apodi. O Capitão-mor Manoel Nogueira Ferreira construiu a primeira fazenda na cidade devido à necessidade de buscar paz e tranquilidade e depois subiu a montanha. Um pedaço de lenha (dorminhoco) demarcou a fronteira desta terra. Portanto, o nome da vila é chamado Serra dos Dormentes. Em 1740, os fundadores portugueses da vila, Clemente Gomes d’Amorim e Carlos Vidal Borromeu, casaram-se com Margarida de Freitas, filha do capitão Maro Manoel Ferreira.

Em 1752, Dona Margarida de Freitas adoeceu. Ela e o marido fizeram votos para curar Nossa Senhora de Santana, construindo uma capela em homenagem ao santo pela graça que ele alcançou. O nome do meio de Portalegre passou por esse serviço, mudando seu nome para Serra de Santana.

Depois de deixar a terra devido à morte das famílias do fundador, secas, conflitos entre posseiros e levantes indígenas, os irmãos portugueses receberam concessões de terras do governo, já fizeram melhorias e, por não haver títulos ou cartas de doações, o capitão – Mor Francisco Martins arrendou terras pertencentes a Portugal . Por isso, o nome muda para Serra do Regente (de Regência).

Em 12 de junho de 1761

A pedido do governador do Estado de Pernambuco, o Dr. Miguel Caldas Caldeira de Pina Castelo Branco, Recife, foi enviado à vila para alocar terras para os índios Paiacu que vivem no rio Apodi. Em 1762, Paiacu, localizado na Missão Paiacu (hoje Pacajus-Ceará), acrescentou uma comunidade indígena. Este fato causou um conflito entre os índios e os moradores.

A presença de índios foi registrada em um documento de 3 de novembro de 1825, que diz sobre a prisão e execução de índios na vila de Portalegre. Os índios Luíz Cantofa e João do Pêga, partidários da revolta nativa contra os moradores, conseguiram escapar. Mais tarde, quando estava cochilando sob um cajueiro decíduo, o povo acordou Cantofa , abriu um pequeno oratório e começou a adorar a Mãe de Deus. Quando um dos brancos o esfaqueou no peito, a velha Cantofa caiu em sangue, sua neta Janda também caiu, desmaiou a seus pés. Os brancos foram embora sem ferir Janda. No dia seguinte, a Índia Cantofa foi enterrada no mesmo local da morte, perto da Fonte da Bica. Segundo os antigos, este local foi considerado assombrado por um longo tempo. O paradeiro de Jandy não era mais conhecido.

A vila de Portalegre foi oficialmente estabelecida em 8 de dezembro de 1761, devido à Carta-Régia em 1755 e Alvará-Régio em 1755. Segundo Luís da Câmara Cascudo, Portalegre é a terceira vila do Norte estabelecida no Rio Grande, seguida pela Nova Extremoz do Norte (atualmente na área de Ceará-Mirim) e pela vila Nova Arês. Portalegre lutou contra as forças imperiais na revolução de 1817. Portanto, é considerada a capital revolucionária do Oeste Potiguar.

Gostou da matéria?

Compartilhe

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.