+Natal RN - O Guia Comercial do Rio Grande do Norte
Vamos conhecer um pouco da nossa cidade?

Pedro Avelino – RN

0

Pedro Avelino é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Norte.

Pedro Avelino – RN

Segundo o censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população era de 8.006 em 2000 e 7.171 em 2010, distribuídos por uma área de 952.688 quilômetros quadrados.

História de Pedro Avelino – RN

A princípio, Pedro Avelino, conhecido hoje, era uma vila chamada “Gaspar Lopes”, onde ficou detido até 1921, quando seu nome foi alterado para “Epitácio Pessoa”, em homenagem ao Presidente da República, formado na divisão da parte central do Rio Grande. ao Norte, conectando a cidade a outras regiões do estado.

Com a chegada da linha ferroviária e a abertura consistente da estação ferroviária Epitácio Pessoa, em 8 de janeiro de 1922, a cidade passou por dias de desenvolvimento e expansão da produção e comércio agrícola, onde o progresso foi claramente seguido pelo transporte ferroviário.

Em 1938, ele foi criado para o distrito. Em 3 de dezembro de 1948, ele se separou da comuna de Angicos, da qual conquistou a independência, e foi elevado à categoria de comuna do Decreto Estadual Nº 146 de 23 de dezembro de 1948. Em homenagem ao jornalista da comuna de Angicos, Pedro Celestino Costa Avelino, falecido em 1923. Desde então, ele se chama Pedro Avelino.

O município atualmente

A partir de 2020, o município receberá um dos maiores complexos eólicos do nordeste (complexo eólico de Santo Agostinho), entre outros projetos do setor que já estão passando por mudanças visíveis. Empresas nacionais e internacionais já estão elaborando projetos para iniciar a construção de complexos de energia renovável em fase de conclusão de 02 (duas) linhas de transmissão que atravessam parte significativa do território da Pedroavelinense. Isso permitirá que a economia local seja usada, trazendo empregos e renda para toda a cidade e região, que há algumas dezenas de anos era muito valorizada pelo plantio de algodão, que até meados da década de 1960 uma região com uma área enorme foi atacada pela praga “Bicudo”, trazendo assim enormes danos aos produtores de algodão na comuna.

Gostou da matéria?

Compartilhe

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.