+Natal RN - O Guia Comercial do Rio Grande do Norte
Vamos conhecer um pouco da nossa cidade?

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

0

Você conhece o acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte? O RN é um estado cheio de belezas naturais que são famosas em todo o Brasil e no mundo, suas belas praias, suas famosas dunas, tudo isso é conhecido e apreciado gerando um imenso fluxo de turismo para a região, porém o que poucas pessoas sabem é que o estado também tem um  rico acervo arquitetônico.

Embora a arquitetura local não seja tão famosa quanto aquela encontrada em outros estados existem ainda vários exemplos da arquitetura do RN que são incríveis e merecem ser mencionados como estando entre os mais belos do mundo.

Foi pensando nisso que criamos esta lista, nesse artigo falaremos um pouco sobre o acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte, daremos alguns exemplos de quais são os maiores destaques desta parte tão importante da cultura e como a arquitetura ajudou a moldar o povo e a história do estado.

Pontos turísticos históricos 

Quando a arquitetura se destaca em uma região o resultado é sempre o mesmo, a história e a arquitetura muitas vezes se confundem dando origem a alguns dos mais belos pontos turísticos, alguns dos quais podem durar séculos, assim é o caso dos pontos mostrados nesta lista.

Capitania das Artes

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

A fundação cultural capitania das artes, também conhecida como funcarte é sem dúvidas um dos mais interessantes e visitados pontos turísticos da cidade de natal e tem a importância história de ser um dos pilares da cultura no estado e até mesmo no nordeste, quase todos os eventos que acontecem na capital potiguar são organizados daqui.

O prédio foi construído com um estilo de arquitetura neoclássica que era comum na época e sua beleza se mantém original até hoje, em seu interior o espaço abriga lojas de artesanato, auditórios e serve como palco para exposições de forma constante, é um local feito de arte que serve como um símbolo da beleza cultural do nordeste.

O centro cultural fica localizado à Rua Câmara Cascudo, 434, no bairro Cidade Alta.

Igreja Nossa Senhora da Apresentação (Igreja Matriz)

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

Talvez o mais importante templo católico da região, a chamada Igreja matriz tem um importante valor histórico para a região por ter sido uma das poucas erguidas no século XVII e ainda permanecer de pé depois de centenas de anos, atualmente o local foi tombado pelo governo do estado passando a ser considerado como patrimônio histórico e arquitetônico, além de ser um ótimo lugar para mergulhar na história é sem dúvidas um dos pontos mais belos para se visitar na cidade e vai render boas fotos.

A igreja recebe diariamente centenas de visitas tanto de turistas quanto de fiéis da padroeira da cidade de Natal, sem dúvidas é um dos marcos históricos mais importantes do Brasil e vem sendo mantida preservada desde a conquista dos europeus, quem quiser visitar o espaço pode se dirigir ao outeiro do sítio onde Jerônimo de Albuquerque fundou a cidade, o estilo barroco é sem dúvidas um motivo para admirar essa obra.

O templo está localizado na Praça André de Albuquerque, no bairro Cidade Alta.

Praça André de Albuquerque

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte
Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

A mesma praça que abriga a Igreja Matriz foi o marco zero da cidade de Natal. Apesar das modificações e obras realizadas ao longo dos anos, o peso histórico-cultural do local se mantém vivo até os dias atuais.

O nome da praça faz referência a André de Albuquerque, revolucionário que lutou pela independência do Brasil e bisneto do fundador Jerônimo de Albuquerque.

Pouco tempo após constituir seu governo, André de Albuquerque teve sua sala invadida, foi ferido e morto. Seu corpo foi transportado despido e sujo de sangue pela praça até a Igreja Nossa Senhora da Apresentação, onde foi sepultado. Por esse motivo, o lugar também é chamado de Praça Vermelha.

Essa é uma das mais importantes praças da cidade e está rodeada de prédios de grande importância do município, como o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte (IHGRN), que também vale a visita.

Casa da Viúva Machado

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

Entre lendas e histórias reais, a tal Viúva Machado faz parte dos contos dos cidadãos natalinos. Conhecida popularmente como a “comedora de fígados”, a assustadora imagem criada da mulher é bem diferente da história verdadeira. Seu nome era Amélia Duarte Machado e foi casada com um rico português, dono de diversas terras na região.

Em 1910, a atual casa foi erguida ao lado da Igreja do Rosário, de forma imponente como um palacete. Após a morte de seu marido, a então Viúva Machado assumiu todas as heranças, porém manteve-se isolada boa parte da vida. A partir daí, boatos começaram a rodear entre os locais, que deram origem às famosas lendas populares.

Centro de Turismo de Natal

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte
Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

Um dos pontos turísticos de Natal mais frequentados pelos seus visitantes é o famoso Centro de Turismo da capital. O prédio, que desfruta de uma privilegiada vista para as principais praias urbanas da capital, abriga também inúmeros atrativos para o viajante que visita a cidade.

Em seu interior, há exposições de artesanato, um importante memorial sobre a história do edifício, galeria de artes com obras de artistas locais, lanchonete e restaurante. Conta, ainda, com a tradicional festa de forró todas as quintas às 22 horas. É o programa ideal para quem busca dançar e se divertir, seja natalense ou turista.

Forte dos Reis Magos

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

Este é um ponto turístico que precisa estar no seu roteiro, pois além de oferecer uma linda vista da cidade, tem uma arquitetura conceitual que conta a história e fundação de Natal. Quando os colonizadores portugueses chegaram ao território, começaram a construir um forte em formato de estrela para se protegerem contra invasões.

Na época, a edificação foi chamada de Fortaleza da Barra do Rio Grande e só depois recebeu o nome de Forte dos Reis Magos, em homenagem à data do início de sua construção: 6 de janeiro de 1598 — dia de reis, de acordo com o calendário católico. O Forte foi construído ao lado do Rio Potengi, atualmente próximo à Ponte Newton Navarro.

O piso do Forte é o mesmo desde a sua fundação, ou seja, tem mais de 400 anos de história, em estrutura bem conservada. No centro, há uma pequena igreja com esculturas em homenagens aos três reis magos. Também é possível conhecer antigos depósitos e alojamentos que abrigavam os soldados na época da colonização. Já a parte superior é uma das mais procuradas, pois é lá que estão os canhões utilizados durante o período de invasões.

O Forte está localizado na Avenida Presidente Café Filho, 1, na Praia do Meio, e funciona diariamente, de 8h às 16h30. O ingresso custa apenas R$3,00 por pessoa e há guias credenciados disponíveis para conduzir a visita. Os passeios em grupos devem ser agendados por telefone. O lugar tem estacionamento próprio, mas também é acessível de transporte público.

Palácio Potengi — Pinacoteca Potiguar

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte
Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte

O prédio foi construído no século 19 e até meados dos anos 80 foi sede do governo do Rio Grande do Norte. Atualmente o espaço abriga uma pinacoteca com acervo importantíssimo para o estado. Além de conservar grandes obras responsáveis pela herança cultural de Natal, o Palácio também reservar espaços para exposição de artistas locais.

A mobília do prédio é uma atração à parte, proporcionando um verdadeiro mergulho histórico e cultural. Dependendo da época, o visitante também pode conferir exposições temporárias e eventos locais. O Palácio oferece lindas paisagens, seja por dentro ou por fora. Está localizado na Praça Sete de Setembro, sem número, no bairro Cidade Alta.

Acervo arquitetônico do Rio Grande do Norte e muito mais!

Todos esses pontos turísticos de Natal merecem ser visitados por quem chega à cidade e, sem dúvida, completam ainda mais a beleza e a riqueza cultural desse paraíso nordestino. Conhecer centros históricos e culturais é uma ótima programação para quem viaja sozinho ou acompanhado, além de mostrar um outro lado da cidade para quem está acostumado apenas com sol e mar.

Se você gostou do nosso artigo e quer aprender ainda mais sobre as belezas que o Rio Grande do Norte tem a oferecer, aproveite essa oportunidade para ler nosso artigo sobre: Informações socioeconômicas do Rio Grande do Norte.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.