+Natal RN - O Guia Comercial do Rio Grande do Norte
Vamos conhecer um pouco da nossa cidade?

A cera de carnaúba no Rio Grande do Norte

0
A cera de carnaúba no Rio Grande do Norte
A cera de carnaúba no Rio Grande do Norte

A cera de carnaúba no Rio Grande do Norte não é apenas parte da economia, trata-se de uma tradição, algo que faz parte da cultura e que provavelmente sempre vai fazer.

No Rio Grande do Norte, uma pequena empresa está exportando um produto típico da região, a cera de carnaúba. Na verdade, ela existe em outros países, mas apenas no Nordeste brasileiro, mais especificamente no Rio Grande do Norte, Piauí e no Ceará, ela pode ser extraída em escala industrial. Aproveitando essa cera extraída diretamente da natureza, a empresa Ortal de Mossoró, produz 200 toneladas de cera das quais 80% vão para exportação.

Os principais destinos são os Estados Unidos, a Alemanha e o Japão. A empresa vende também para um comprador egípcio, que revende em seu país. Segundo a diretora de exportação da empresa, há um comprador sírio interessado no produto. “Nosso objetivo, agora, é expandir as vendas para outros países árabes”, revela a diretora.

A cera de carnauba no Rio Grande do Norte é pouco conhecida no mercado mas é utilizada como matéria base para fabricação de vários produtos que você usa no seu dia a dia e nem imagina.

O que é cera de Carnaúba?

A cera de carnaúba no Rio Grande do Norte

A cera de carnaúba do Rio Grande do Norte e retirada das folhas da palmeira ‘Copernicia Prunifera’, planta nativa do Brasil que cresce somente nos estados do Ceará, Piauí, e Rio Grande do Norte, é um produto com diversas aplicações, utilizada na fabricação de ceras para pisos, ceras automotivas, tintas, vernizes, produtos para marcenaria, além de ser usada no processo de fabricação de medicamentos e alimentos.

Geralmente é extraída na forma de flocos duros amarronzados. É obtida das folhas da carnaúba em um processo que envolve batê-las para liberar a cera, seguido do seu refinamento. Tem um ponto de fusão muito maior que outras ceras (78 graus Celsius), além de ser extremamente dura. Isso faz com que seja ideal para criar coberturas extremamente fortes para pisos, automóveis, entre outros.

A cera de carnaúba do Rio Grande do Norte aparece em doces, polimentos, vernizes, produtos cosméticos e em muitos outros lugares. A cera de carnaúba é largamente utilizada pela indústria, apesar de pouco conhecida dos consumidores.

Como podemos utilizar a cera de Carnaúba?

A cera de carnaúba no Rio Grande do Norte
A cera de carnaúba no Rio Grande do Norte

A água não pode romper uma camada de cera de carnaúba, apenas outros solventes o podem, geralmente em combinação com calor. Isso significa que o material possui alta durabilidade, tornando inclusive uma superfície um tanto quanto resistente à água.

Muitos surfistas, por exemplo, usam esta cera para suas pranchas. Também é usada como cobertura de pratos de papel, fio dental e uma alternativa para gelatina vegetariana. Na indústria farmacêutica, aparece como cobertura de tabletes e aparece em um grande número de embalagens de alimentos.

Ao contrário de muitas outras ceras, o acabamento com cera de carnaúba não se desfaz com o tempo, apenas fica opaco. Apesar de a cera de carnaúba ter sido substituída em grande parte por sintéticos, ainda é um produto muito usado em muitas partes do mundo, abaixo deixamos uma pequena lista de outras coisas que a cera de carnaúba também é utilizada.

  • conservação de frutas
  • dissolvida com água se tornar um ótimo fixador
  • Fabricação de óleos

A cera de Carnaúba do Rio Grande do Norte pode ser utilizada de diversas maneiras e está presente em vários produtos que encontramos em casa, mas por não ter um grande nome no mercado acaba dificultando o investimento em estudos para ajudar na produção dessa matéria prima, muitas vezes dificultando na sua qualidade e vendas.

Quero aprender mais sobre a cera de carnaúba no Rio Grande do Norte!

Se você gostou de aprender um pouco mais sobre o RN e quer continuar aprendendo sobre esse lugar magico, não perca a chance de ler também nosso artigo sobre: Lagoa de Pitangui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.